Gosto de literatura e fotografia. Então, mantenho dois blogs: "LUGARES" - dedicado à fotografia com relatos de viagens, experiências, informações e dicas aos marinheiros que se aventuram em "mares nunca dantes navegados" e "NOTAS DO SUBSOLO" , um caderno virtual dedicado à literatura. Espero que gostem.



25 de mai de 2010

BUDAPESTE DIA 5

     Budapest é  estranha. É uma cidade de velhos. Apesar disso nada parece causar surpresa ou espanto. Cada um é unico em sua individualidade e ninguém parece ter nada com isso.
     Os húngaros adoram vestir-se de preto. Parece esta ser sua cor favorita. É comum ver em uma calçada a nossa frente meia dúzia ou mais de pessoas vestidas de preto, dos pés à cabeça. A saia pode ser mini, meias transparentes, o sapato de salto, não importa, desde que o preto esteja lá, contrastando com brancura da pele e fazendo par à maquiagem carregada.
     Mas a primavera traz também as roupas coloridas dos mais jovens que adoram andar em bandos com seus cabelos coloridos, tatuagens e pircengs. Falam baixo, são discretos e aparentam tímidos e educados.  Demonstração de carinho em público é normal e não causa espanto. Em todos os locais, são gentis ao extremos com os turistas. Nada de grosserias como na França ou Portugal.
     Budapeste é uma cidade em reconstrução, ou melhor, restauração. Há um canteiro de obras em cada esquina, embora se fale atualmente da crise européia. Ano passado estava assim também. Muito já feito e outro tanto a fazer.
     Hoje, consegui comprar o carregador de baterias da máquina fotográfica e também os bilhetes de trem para Bratislava. Vamos dia 04 de junho e voltaremos dia 05.
     Caminhei quase 8 horas. Fiz tudo à pé. Choveu, mas não atrapalhou porque logo o sol aparecia com o calor de primavera. Gosto de tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário